quarta, dezembro 13, 2017
A- A A+

Tradutor Automático

Portuguese Chinese (Simplified) Danish English French German Spanish

Pesquisar

Sistemas de apoio à decisão

Com o crescimento das Organizações e a evolução da Tecnologia utilizada nos processos produtivos, com o consequente aumento da complexidade, cada vez mais temos necessidade de dispositivos que facilitem as decisões, e reduzam o impacto de variações de processo.

Isto faz-se a 3 níveis: nível estratégico, nível tático e nível operacional.

Nível Operacional

São normalmente sistemas que efetuam transações comuns e rotineiras, embora críticas. (Cálculo da folha de Pagamentos, por exemplo) e são utilizados Sistemas de Processamento de Transações (CRM – Customer Relationship Management e ERP – Enterprise Resource Planning).

Nível Tático:

São sistemas responsáveis por gerar relatórios contendo análise de informações passadas e atuais, e que visam auxiliar na monitorização de processo e tomada de decisão (Sistemas de Informação de Gestão (SIG) e Sistemas de Apoio à Decisão (SAD)).

Nível Estratégico:

São sistemas que fazem recolha de dados dos outros níveis administrativos (através de Business Intelligence – Olap, datamining, etc.) para que a gestão de topo possa estabelecer o rumo a ser seguido pela empresa, com vista em obter um maior nível de otimização.

No que diz respeito aos SAD (Sistemas de Apoio à Decisão) focar-me-ei num software de simulação: o ARENA.

Num mundo globalizado, em permanente mudança, a complexidade torna as decisões lentas, inconstantes e de alto risco. É necessário criar modelos que simplifiquem os processos e permitam tomar boas decisões e em tempo útil.

Aí, a simulação é uma ferramenta de apoio à decisão essencial, pois permite demonstrar, predizer e medir novos sistemas e estratégias no sentido de obtenção de um melhor desempenho e produtividade. O Arena suporta simulação em áreas como o fabrico (simulação de layouts, fluxos de produção, controlo de inventários...), cadeia de fornecimento (análise de cenários, operações JIT, 6Sigma, Lean, etc.), packaging, contact centers ou em organizações de saúde.

O setor de saúde beneficia do uso de simulação para estudar o fluxo de pacientes, recursos humanos, utilização otimizada dos equipamentos, racionalização de recursos na Emergência e processos de admissão ou planeamento de instalações. Com isso, temos várias vantagens:

• aumento significativo na qualidade do atendimento;

• otimização do tempo da consulta;

• sem grandes custos adicionais;

• tomada de decisões e realização de procedimentos à distância.

A simulação é, portanto uma evidente mais-valia para qualquer organização moderna e competitiva.